"Sê o farol e o porto de abrigo da tua criança.”

Raquel Gonçalves

Onde começa o caminho da parentalidade?

O caminho da parentalidade é comummente visualizado aquando do nascimento de um bebé, de um filho, de uma nova Vida. Neste contexto, é na gestação que o processo de parentalidade começa.

Mulher grávida a abraçar a sua barriga

Mas será na gestação que o desafio da parentalidade começa ou será neste momento que existe uma maior tomada de consciência sobre as questões da parentalidade? Afinal o que é a parentalidade?

A parentalidade é um modo de estar na vida, consciente, criativo e generoso, assente num propósito bem definido, valores e intenções que, quando educamos e cuidamos de outra vida, colocamos em prática, em ação. Ainda que possa parecer um conceito abstrato, não o é.

Os teus pensamentos, sentimentos e emoções são a forma como vives em ti a parentalidade, e que regulam as tuas ações. No entanto, estas últimas também modelam as emoções e os sentimentos em ti, bem como os teus pensamentos. Por isso, a parentalidade assume um carácter dinâmico, ativo e generativo, na medida em que há sempre a construção de algo maior, para ti e para o mundo, no trilho de educar e cuidar do outro.

Mas afinal quem é este outro e onde começa a parentalidade?

Este outro é o teu filho, a tua criança, mas também és tu!

Meninos a correr em caminho de terra num jardim

Desde que foste gerado que estás a absorver um conjunto de aprendizagens e a potenciar os teus recursos (tens em ti todos os recursos que precisas para a tua melhor versão). Neste caminho de construção da parentalidade, os nossos neurónios-espelho, os seja, aqueles que aprendem através da modelagem, aprendem com os nossos educadores parentais de referência, os quais nos levam a integrar crenças que se aliam aos valores essenciais que vamos erguendo.

E como sei onde começa a parentalidade?

Quando começas a colocar em ação o teu manancial de recursos. E é nesse momento que é importante refletires sobre as tuas influências, as crenças em que passaste a acreditar ou que te fizeram acreditar (mas que podes deixar ir, se não te servirem no teu papel parental) e potenciares os teus valores nas tuas ações, sempre de modo dinâmico.

Quando deixas partir crenças que não te servem, onde começa a tua parentalidade?

A partir de dentro, da tua essência, num movimento do centro para o teu centro. É aí que começa a parentalidade, quando fazes a diferença no mundo no teu papel parental enquanto mãe, pai, cuidador, educador… E neste processo de centramento, a tua respiração assume extrema importância pois é o teu pilar duradouro de consciência, desde sempre, desde o nascimento.

Farol marítimo sobre rochedo junto ao mar

A respiração é onde começa a parentalidade, enquanto movimento dinâmico que te orienta em consciência, sendo o teu farol e o teu porto de abrigo nas inseguranças, dúvidas e receios… os quais começam com a tua gravidez (e muitas já trazes na tua bagagem inconsciente). E quão importante é saber respirar para uma vida gerar! Por isso, a parentalidade operacionaliza-se na gestação, mas estreia-se muito antes dela…